Conecte-se conosco

Próxima Parada

Seguro Viagem

Porque eu devo visitar um orfanato HOJE

Geral

Porque eu devo visitar um orfanato HOJE

Tenho um irmão um ano mais novo, o nome dele é Dannylo, e uma irmã 6 anos mais nova, a Thays, eu e meu irmão sempre brigavamos muito quando eramos crianças.

Os motivos eram provavelmente os mesmos pelos quais voce que tem irmãos, também brigava com os seus: Controle remoto da tv, quem ia sentar no banco da frente no carro, lugar na mesa, entre outras coisas, mas no fim, por não termos maturidade naquela epóca, precisavamos de um apoio externo para fazermos as pazes, era quando entravam nossos pais.

Eles entao nos ensinaram a respeitar a opiniao do outro quando estivesse assistindo algo, tinhamos os dias certos para sentar no banco da frente do carro, passamos a ter lugares fixos na mesa, enfim, as coisas foram se alinhando e as brigas não acabaram, mas diminuiram drasticamente por muito tempo.

942193_10151605249804362_894603805_n

(Foto: Eu e meu irmão após uma briga em que eu perceptivelmente levei a melhor)

Nossa família é de origem simples, luxo nunca fez parte da nossa infância ou adolescência, aprendemos desde cedo a respeitar as pessoas pelo que elas são e não pelo que elas tem.

Nós viajamos todas as férias de meio de ano, e todas as férias de final de ano, meu pai adora dirigir, entao sempre estavamos na estrada, aventuras em família.

Quando mais novo, as coisas não eram boas financeiramente, mas não deixavamos de viajar. Fizemos viagem em família de carona na carroceria de caminhão, ou com carro velho que quebrava toda hora, acampavamos em beira de rios para pescaria, a família toda dormia junta na sala de parentes e amigos dos meus pais em diferentes cidades, enfim, davamos um jeito e estavamos sempre que podiamos conhecendo algo novo.

Minha mãe é muito detalhista, então sempre trazia muitas informações sobre os estados, cidades e curiosidades. Nossa viagem tornava ainda mais interessante.

Posso escrever essa história acima, ou centenas de outras mais, porque nasci e cresci cercado de amor, carinho, união e uma família que estava sempre unida.

A minha base hoje, foi originada há anos atrás, quando os erros e acertos eram sempre vistos, corrigidos ou aplaudidos por meus pais, que sempre foram muito presentes em nossas vidas.

Se eu parar para analisar, não consigo imaginar como seria ter crescido sem ter uma família. Pensando friamente, essa opção é algo totalmente fora do meu mundo, pois todos os meus amigos na escola, faculdade, também tinham estrutura familiar muito parecida com a minha.

Ao longo dos anos, estudei, aprendi idiomas, estagiei, trabalhei, viajei, acertei muitas coisas, errei muitas outras, e aos poucos venho moldando minha personalidade, me conhecendo mais como homem e como ser humano.

Tudo isso, em algum momento da minha trajetoria, me veio como uma luz, me mostrando que nem todos tiveram essa oportunidade que tive.

Não por escolha, assim como também não foi minha escolha ter uma família unida e que sempre me enxeu de amor, carinho e suporte.

Dezenas, centenas, milhares de crianças, todos os dias, no mundo todo, perdem a chance de ter uma base familiar, pelos mais variados motivos: erros de seus pais que acabam sendo presos, por fatalidades, pelo excesso de alcool ou drogas que impossibilitam seus pais de serem responsaveis pelos filhos, em alguns casos, crianças nem saberão quem são suas famílias, pois foram abandonadas na porta de hospitais ou em qualquer lugar que foi mais conveniente para seus criadores.

Essas crianças são alocadas em um local, que muitos conhecem por nome, mas nunca tiveram a oportunidade de visitar, são os famosos orfanatos.

625655_10151448425164362_1713884314_n

(Foto: Sendo recebido por crianças em Lalsot, na Indía)

Da mesma forma que na minha infancia, na epoca da escola, eu tinha ao meu redor outras centenas de crianças que tinham a mesma estrutura familiar que a minha, as crianças que estão em orfanato, teoricamente estão na mesma situaçao que eu estava, pois estão cercadas por crianças que tem a mesma estrutura familiar que elas tem.

O que pra nós, é algo tão longe e surreal, pra elas passa a ser algo comum, elas crescem com suporte de outras crianças que também não vão ter o carinho de pai e mãe que eu tive, elas passam a depender de estranhos, de voluntários, elas passam a depender do que eu chamo de doadores de tempo.

397498_10151352186034362_1749025225_n

(Foto: Com crianças em sala de aula na Índia)

As pessoas que trabalham nesses orfanatos não são pessoas ricas, não são pessoas que querem ser ricas financeiramente falando, a riqueza que elas buscam é pessoal, elas estão ali para preencher um vazio na vida daquelas crianças, algo que elas infelizmente nunca conseguirão preencher por completo.

Agora voce pensa comigo, se na minha casa, onde eramos 3 filhos, tendo meu pai, minha mãe e uma pessoa que ajudava com as obrigações diarias, as vezes não era suficiente para dar suporte pro que precisavamos., será que uma, duas pessoas, serao suficientes para dar conta de 20, 30 crianças nos orfanatos?

Neste momento, volto a falar de mim, e do que eu fiz pra chegar aqui.

Eu disse anteriormente que estudei, me qualifiquei, viajei, errei, acertei, aprendi, e hoje tenho todo esse conhecimento e aprendizado de vida comigo.

Está tudo na minha cabeça, ninguém mais tem acesso sobre tudo o que eu sei, tudo que eu aprendi, da mesma forma que ninguem sabe o que voce que está lendo esta material agora sabe, viu ou viveu. Somente você tem acesso a tudo isso.

Olha que feliz, por escolha própria, eu posso compartilhar um pouco do que aprendi, com crianças que não tem o que eu tive. Elas não tem estrutura familiar, não tem suporte fixo, a não ser daqueles que assim como eu, doam seu tempo para estarem ali por perto, nem que seja por algumas horas.

Lembra quando voce era criança, e recebia visita na sua casa?

A casa toda parava para receber o convidado, todo mundo feliz, o foco e atenção eram dados praquela visita especial, pois a pessoa que estava em sua sala, poderia estar em qualquer lugar que quisesse, mas ela preferiu compartilhar seu tempo com sua família.

Esta é exatamente a sensação que tenho, quando entro num orfanato.

Você é a visita que elas esperavam, mesmo sem saber que você estava indo.

12745667_539139319587834_9199407160204387834_n

(Foto: Orfanato em Vladivostok na Rússia)

As crianças acordam, se alimentam, normalmente estudam, brincam e dormem no mesmo lugar. O orfanato, em boa parte dos casos, serve como casa, escola e parque de diversão.

Ou seja, quando criança, eu tinha minha casa, minha escola, meus parentes para visitar, os amigos dos meus pais, as viagens em familia, o cinema, teatro, aulas de idiomas, esportes, instrumentos musicais… naquela epoca, eu estava com a mente aberta para o novo, para o mundo, sempre vendo e aprendendo coisas novas.

Você consegue imaginar ter vivido tudo isso em um unico local?

Numa unica sala?

12744519_10153917823889362_7444364747328314306_n

(Foto: Brincando de quebra-cabeça com crianças em orfanato na Rússia)

Poisé meu amigo, essa é a realidade de milhares de crianças no mundo todo.

12802996_540757709425995_6199399764380586553_n

(Foto: No Nepal, hora de música e muita felicidade)

Portanto, o que eu te peço é muito simples.

Saia da sua casa, sozinho, com seu grupo de amigos de farra, amigos do trabalho, de cursos, com familiares, enfim, com quem voce sentir feliz ao seu lado, e visite essas crianças.

Lembre-se, elas não precisam do seu dinheiro, elas ainda não sabem a importancia que o dinheiro terá para a vida delas.

Elas precisam do seu tempo.

Elas precisam aprender com você, o que elas não tiveram e não vão ter a oportunidade de ver com os próprios olhos, pois essa parte de suas vidas, as foram tomadas sem perguntar se era isso que elas queriam.

 

12508743_531196510382115_7427530196312848201_n

(Foto: Ensinando Inglês na Rússia)

Me sinto na obrigação de te alertar sobre algumas coisas que possam ser importante durante sua visita:

Prepare-se para ser abraçado pelas mais diferentes crianças de todas as idades;

Esteja pronto para sujar sua mão com tinta após passar horas pintando o que vocês acharem interessante;

Jogar bola, dançar, sentar no chão e montar quebra-cabeça, farão parte de muitas de suas horas;

Prepare seus ouvidos para escutar as mais variadas formas de cantar musicas que voce nunca antes ouviu;

Seu nome sera chamado por todos os lados, e você nao sabera nunca para onde olhar, pois todo mundo quer a sua atencao;

Com os olhos cheios de lagrimas, e com um sorriso de ponta a ponta no rosto, elas vão olhar para você e dizer: Tio (a), quando é que você volta?

12743757_538062153028884_5416888863031719662_n

(Foto: Orfanato na Rússia)

Tenho visto e aprendido muita coisa, nesses ultimos meses, ao redor do mundo.

Mas nenhuma experiencia é tão intensa e gratificante, quanto a de dividir o meu tempo com quem precisa.

Faça a diferença na vida dessas crianças, elas com certeza vão de forma muito simples fazer total diferença em sua vida!

Um forte abraço a todos!

Danniel Oliveira

“A felicidade só é real, quando compartilhada.” Christopher McCandless

408515_10151352188484362_1426338922_n

(Foto: Crianças se despedindo na porta de orfanato em Jaipur, na Índia)

Continuar Lendo
Anuncio
mm

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nullam pellentesque vel urna id vulputate. Donec bibendum diam elit, porta faucibus felis fermentum volutpat. Curabitur aliquam, tellus a tincidunt accumsan, ex nisi ultrices justo, in porta nisl mauris vitae purus.

6 Comentários

6 Comments

  1. Jorge Lima

    06/03/2016 em 23h48

    Parabéns, Danniel! Muito legal o seu chamamento a todos! Realmente, não há nada mais prazeroso, gratificante do que se dedicar a alguém desconhecido, ainda mais quando esse alguém é uma criança. Abração. Feliz viagem. Boa sorte, todos os dias.

    • mm

      Danniel Oliveira

      07/03/2016 em 01h01

      Obrigado Jorge.
      Valeu pelo comentario.
      Abraços

  2. Luísa Oliveira

    07/03/2016 em 21h50

    Menino, você tem um chamado, um ministério aqui!!! Parabéns!!! Abraços e boa viagem!

    • mm

      Danniel Oliveira

      08/03/2016 em 09h03

      Obrigado Luisa! 🙂

  3. Dannylo Oliveira

    08/03/2016 em 00h10

    Muito bom o texto!
    O nosso tempo é o melhor presente que poderíamos dar para alguém!

    • mm

      Danniel Oliveira

      08/03/2016 em 09h03

      Sempre! 🙂

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Geral

Topo